Coleta de Resíduos Eletroeletrônicos

http://www.abras.com.br/supermercadosustentavel/logistica-reversa/sao-paulo-inaugura-seis-pontos-de-coleta-de-residuos-eletronicos/

O Departamento de Gestão Ambiental (DGA) realizará a coleta de eletrônicos não patrimoniados nas unidades da UFMG Campus Pampulha. Solicitamos gentileza que os eletrônicos a serem descartados sejam encaminhados à Gerência de Resíduos da Escola ATÉ O DIA 27 DE JANEIRO (sexta).  Caso seja um volume grande de material, podem nos comunicar enviando e-mail para residuos.ev.ufmg@gmail.com ou para os emails das servidoras do setor de Gerência de Resíduos da Escola (Graciela e/ou Mel), para que possamos providenciar a coleta.

Os materiais serão coletados pela NATURALIS MINAS. Poderão ser encaminhados para esta coleta: material de informática (monitores, CPUs, teclados, mouses, estabilizadores, no-breaks, cabos, impressoras, etc.), aparelhos telefônicos e fax, e demais itens apresentados no seguinte link:

http://www.naturalisminas.com.br/lixo_eletronico

IMPORTANTE: em todo o material a ser coletado não deve constar placa de patrimônio (da UFMG ou da Unidade) e, ainda, NÃO deve constar na lista de equipamentos patrimoniados da UFMG. 

Para mais informações, consulte o link:  https://residuosevufmg.wordpress.com/eletronicos/

Estamos à disposição para demais esclarecimentos.

 

Anúncios

Escola de Veterinária participa de projeto para controle do Aedes aegypti

f1-large

 Armadilhas utilizadas para captura dos mosquitos.  Fonte: http://jme.oxfordjournals.org/content/51/1/210

Notícia divulgada pela assessoria de comunicação da Escola informa a respeito do projeto:

“Estão sendo instaladas cerca de 60 armadilhas para captura de mosquitos nas dependências da Escola de Veterinária.  A ação faz parte do projeto “Controle de Aedes aegypti na UFMG”, que visa monitorar a circulação de insetos contaminados. Desse modo, serão definidas ações a serem tomadas para combater o mosquito transmissor dos arbovírus causadores de Dengue, Chikungunya e Zika.

A primeira etapa, que consiste na captura dos mosquitos, faz uso das armadilhas “Gravid Aedes Trap” (GAT). Diferente da forma de prevenção que elimina focos de proliferação do Aedes aegypti, as armadilhas utilizadas exterminam as fêmeas do mosquito, que ficam presas em uma fita adesiva, morrem e deixam de botar ovos.

Em seguida, será realizada a verificação do índice de infestação, e análise para avaliar a presença de arbovírus nos espécimes capturados. A partir dos resultados obtidos, serão estabelecidas as medidas de prevenção cabíveis. Como forma de combater os insetos vetores na Unidade, serão promovidas ações tanto de controle físico, que se constitui na identificação e remoção de criadouros e instalação de telas em bueiros, quanto químico, que se trata da aplicação de inseticidas.

As armadilhas demandam cuidado especial e não podem ser manipuladas por pessoas que não façam parte do projeto. Durante o período em que estiverem presentes nas dependências da Escola, quaisquer dúvidas ou anormalidades devem ser comunicadas à Gerência de Resíduos da Unidade, no ramal 3409-2053, ou aos técnicos do DGA, nos ramais 3409-4635 ou 3409-3964.

O projeto é uma iniciativa da Pró-Reitoria de Administração (PRA), por meio do Departamento de Gestão Ambiental (DGA), em parceria com o Laboratório de Ecologia Química de Insetos Vetores (LabEQ), do Instituto de Ciências Biológicas (ICB).”

Fonte: goo.gl/rGsgyu