Resíduos infectantes/biológicos

Resíduos com a possível presença de agentes biológicos que, por suas características, podem apresentar risco de infecção. São subdivididos em:

A1

Resíduo resultante da atenção à saúde animal com microrganismos de relevância epidemiológica e risco de disseminação.

  • Bolsas transfusionais incompletas e bolsas com volume residual pós transfusional.
  • Kits de linhas endovenosas (equipos, frascos de soros), resíduo líquido de aspiração, secreção sanguinolenta, exsudato,
  • Meios de cultura, material usado no processo de trabalho (luvas, seringas, recipientes, frascos), recipientes contendo sangue ou líquidos corpóreos na forma livre.

A2

  • Sobras de amostras com sangue ou liquido corpóreo coletado;
  • Carcaças e peças anatômicas de animais submetidos a processos de experimentação com inoculação de microrganismos e sem inoculação de microrganismos;
  • Forrações dos animais internados e animais de experimentação

A4

  • Peças anatômicas cirúrgicas, carcaças, vísceras de animais não inoculados e não infectados;
  • Resíduos de assistência ao paciente internado (gazes, crepons, drenos).

Procedimentos para coleta na Escola de Veterinária

Para o acondicionamento dos resíduos do Grupo A, subgrupos A1, A2 e A4,  são utilizados sacos plásticos impermeáveis de cor branco leitosa e recipientes, sem vazamento e resistentes às ações de punctura e ruptura,  substituídos ao atingirem 2/3 de sua capacidade ou pelo menos uma vez a cada 24 horas, identificados conforme simbologia de substância infectante que se encontra acima.

A1

Resíduos A1 contendo meios de cultura, vírus, bactérias, sangue, etc, devem ser autoclavados pelos geradores previamente à coleta pelos funcionários da higienização. Os resíduos A1 são coletados uma vez ao dia (ou mais vezes nos locais de maior geração) por funcionários da empresa terceirizada responsável pela higienização (Conservo), e armazenados temporariamente em containers identificados, no abrigo externo. O transporte externo, tratamento e disposição final são realizados pela empresa VIASOLO Engenharia Ambiental S/A. Estes resíduos são autoclavados, descaracterizados, e os rejeitos são dispostos em aterro sanitário.

A2

Resíduos compostos por carcaças de animais de pequeno, médio e grande porte são acondicionadas em sacos brancos leitosos e armazenados temporariamente em câmara frigorífica especifica (Sala de Necropsia) em recipiente com bojo de plástico rígido e resistente e estanque, de Polietileno de alta densidade (PEAD). A coleta é  realizada semanalmente pela empresa VIASOLO para transporte, tratamento por incineração e disposição final dos rejeitos em aterro sanitário.

A4

Atualmente na Escola os Resíduos classificados como A4 compostos de carcaças, peças anatômicas e vísceras de animais são tratados como Resíduos A2, já as gazes, crepons e drenos são tratados como A1.

Anúncios